sábado, 10 de novembro de 2012

Filhos do Éden!!


"Filhos do Éden - Herdeiros de Atlântida - Livro 1 é o segundo romance do jornalista Eduardo Spohr. A narrativa, ambientada no mesmo cenário de A Batalha do Apocalipse, sua obra anterior, transcorre nos dias atuais e explora uma nova perspectiva da guerra no céu - a visão dos capitães e soldados, e não dos grandes generais, tão amplamente retratados no livro de estreia.

Este romance não é uma continuação de A Batalha, e sim o início de uma nova saga, em que algumas questões, antes obscuras, são enfim respondidas, enquanto outras são lançadas ao público. Tampouco se trata de um épico. É, acima de tudo, uma aventura, um autêntico thriller de fantasia, menos heroico e mais dinâmico, mais humano, com pitadas de conteúdo histórico, romance e mitologia.

A ação divide-se entre Kaira, uma celestial que luta para recuperar a memória após anos vivendo na terra, e Denyel, um querubim exilado, uma figura vulgar e sombria, que trabalhou como assassino das legiões inimigas, mas que hoje, solitário e desonrado, procura ser incorporado às fileiras rebeldes.

Em paralelo, acompanhamos o drama de um terceiro personagem, conhecido apenas como Primeiro Anjo, o líder dos sentinelas - poderosos agentes designados por Deus para, num passado remoto, instruir e proteger as primeiras tribos humanas. Punidos por se recusarem a tomar parte nas catástrofes antigas, os sentinelas agora buscam vingança, numa caçada que se estenderá aos outros volumes da série."

Água para Elefantes


"Livro que deu origem ao filme Água para Elefantes, com Robert Pattinson, da saga Crepúsculo, e Reese Whiterspoon no elenco!
Primeiro lugar na lista de mais vendido do The New York Times.

Desde que perdeu sua esposa, Jacob Jankowski vive numa casa de repouso, cercado por senhoras simpáticas, enfermeiras solícitas e fantasmas do passado. Por 70 anos Jacob guardou um segredo. Ele nunca falou a ninguém sobre os anos de sua juventude em que trabalhou no circo. Até agora.

Aos 23 anos, Jacob era um estudante de veterinária. Mas sua sorte muda quando seus pais morrem num acidente de carro. Órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir, ele deixa a faculdade antes de prestar os exames finais e acaba pulando um trem em movimento - o Esquadrão Voador do circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra."

Vou Ler!!!

O último da série A mediadora!!
Crepúsculo!!

O Limiar do Surto!!!



“O Limiar do Surto” é o segundo livro de poesias do poeta Rodrigo
Della Santina, publicado pela editora Scortecci. O primeiro, sob o título
de “Intertrigem”, foi publicado em Outubro de 2005 pela editora CBJE.

“O Limiar do Surto” marca uma nova era na poesia de Rodrigo Della Santina,
uma vez que eleva a qualidade de seu verso, em comparação com o primeiro,
e demonstra uma maturidade poética e estilística maior do que antes.

O livro, dividido em seis partes, fala, em sua essência, da própria poesia, da
forma como o poeta se sente diante dela, conversando intimamente com a
sua Musa, descobrindo seus anseios e temores, conscientizando-se disso,
tentando, por meio dessa conscientização, aplacá-los ou ao menos minorá-los.

Dizemos “em sua essência”, pois o poeta não criou uma unidade temática
no livro, mas sim uma de sensações, organizando-as de maneira que o leitor
possa sentir ou perceber ao menos a unidade das mesmas, além das emoções
e esperanças, todas alicerçadas no seu modo de ver a vida.

O poeta conversa também com o cisne, referindo-se ao seu último canto antes
de morrer; mas, invertendo o significado da metáfora, relacionando-a com a
ressurreição de Lázaro pela vontade do Cristo.

No fundo, tal metáfora é a exteriorização da necessidade do poeta em se
exprimir, buscando com o labor poético conhecer-se a si mesmo, sentir-se e sentir o mundo ao seu redor."

Dica de livro:

Pessoal, o Rodrigo Della Santina me pediu para divulgar seu livro de poesias "  O Limiar do Surto" em nossa página.

Sobre "O Limiar do Surto":
“O Limiar do Surto” é o segundo livro de poesias do poeta Rodrigo
Della Santina, publicado pela editora Scortecci. O primeiro, sob o título
de “Intertrigem”, foi publicado em Outubro de 2005 pela editora CBJE.
 
“O Limiar do Surto” marca uma nova era na poesia de Rodrigo Della Santina,
uma vez que eleva a qualidade de seu verso, em comparação com o primeiro,
e demonstra uma maturidade poética e estilística maior do que antes.
 
O livro, dividido em seis partes, fala, em sua essência, da própria poesia, da
forma como o poeta se sente diante dela, conversando intimamente com a
sua Musa, descobrindo seus anseios e temores, conscientizando-se disso,
tentando, por meio dessa conscientização, aplacá-los ou ao menos minorá-los.
 
Dizemos “em sua essência”, pois o poeta não criou uma unidade temática
no livro, mas sim uma de sensações, organizando-as de maneira que o leitor
possa sentir ou perceber ao menos a unidade das mesmas, além das emoções
e esperanças, todas alicerçadas no seu modo de ver a vida.
 
O poeta conversa também com o cisne, referindo-se ao seu último canto antes
de morrer; mas, invertendo o significado da metáfora, relacionando-a com a
ressurreição de Lázaro pela vontade do Cristo.
 
No fundo, tal metáfora é a exteriorização da necessidade do poeta em se
exprimir, buscando com o labor poético conhecer-se a si mesmo, sentir-se e sentir o mundo ao seu redor

Boas leituras *-*

Despertar!!


"Na pequena cidade litorânea de Capri (Itália), as turistas Penn, Lexi e Thea conseguiram chamar a atenção de todos, seja pelo fascínio ou pela apreensão.

Tudo o que se sabe é que por onde passam existe uma energia no ar, algo sobrenatural, e que as garotas estão interessadas em ter a jovem Gemma em seu grupo. Gemma parece ter tudo, é uma nadadora incrível, está começando a namorar seu amigo de infância e se prepara para competir nas olimpíadas no futuro. Aos 16 anos, Gemma sabe que é feliz. Mas quando Penn, Lexi e Thea se interessam por ela, tudo fica prestes a mudar. Sua irmã Harper percebe que há algo de estranho com as garotas, mas será tarde demais para alertar Gemma?

A autora fenômeno Amanda Hocking chega ao Brasil com mais uma saga eletrizante, prendendo o leitor do começo ao fim em uma história em que nada é o que parece. A canção do Oceano está chamando."